quarta-feira, 14 de janeiro de 2015

Nossa Senhora de Madhu – Sri Lanka





Como parte de sua agenda em Sri Lanka, o Papa Francisco visitou hoje o Santuário de Nossa Senhora, em Madhu. O país, dizimado por sangrenta guerra civil por 25 anos, até 2009, recorre à Virgem como intercessora e o Santo Padre diz num trecho de seu discurso: 

"Depois de tanto ódio, tanta violência e tanta destruição, queremos agradecer-lhe por continuar a trazer-nos Jesus, o único que tem o poder de curar as feridas abertas e restituir a paz aos corações destroçados."  

Nossa Senhora de Madhu, rogai por nós que recorremos a vós!


"As origens do Santuário de Nossa Senhora de Madhu remontam a 1544, quando o rei Jaffna, mandou massacrar 600 cristãos de Mannar que, graças à acção evangelizadora dos portugueses chegados à ilha de Ceylon (como se chamava o Sri-Lanka) em 1505. O rei temia o expandir-se da influencia portuguesa. Alguns fiéis que conseguiram escapar ao massacre erigiram no mato um pequeno lugar de oração, pondo a estátua de Nossa Senhora, àrea  onde se encontra hoje o Santuário

Em 1583 alguns cristãos, fugidos novamente à fúria de Mannar, iniciaram a construir igrejas nas proximidades da cidade. Uma dessas Igrejas encontra-se em Mantai e é a primeira “casa” da estátua de Nossa Senhora de Madhu.

Desembarcados em Ceylon no ano de 1656, os holandeses deram início a uma violenta persecução dos católicos. Trinta famílias católicas vão de aldeia em aldeia à procura de refúgio, levando consigo a estátua de Nossa Senhora e, em 1670, se estabelecem em Maruthamadhu, lugar onde se ergue actualmente o Santuário.

Outros católicos fugidos à persecução holandesa juntam-se a eles: De entre eles havia uma mulher portuguesa, Helena, a quem se ficou a dever a construção da primeira pequena igreja dedicada a Nossa Senhora de Madhu.


Por toda ilha se difunde, então, a fama de Nossa Senhora de Madhu, curadora e protectora contra mordeduras de serpente. 


Com a chegada a Ceylon do Padre José Vaz em 1687, o catolicismo volta a reflorescer, e Madhu torna-se, em 1706, num centro missionário.

Em 1872 é colocada a primeira pedra da actual Igreja do Santuário e a estátua da Virgem de Madhu é coroada em 1924, pelo legado pontifício em nome do Papa Pio XI e, em 1944, a Igreja é consagrada. O Santuário de Madhu é, desde sempre, um lugar de oração respeitado e frequentado por fiéis católicos e de outras religiões. 

Não obstante isto, a zona do Santuário não foi poupada pelos combates nos anos passados entre os rebeldes tâmis e as forças governamentais. Mas os bispos do País conseguiram  fazer de Madhu uma zona desmilitarizada, garantindo a segurança dos peregrinos e dos numerosos refugiados que acorreram para essa àrea, fugindo à guerra. Com efeito, a partir de 1990, os 160 hectares de terreno circunstantes ao Santuário acolheram milhares de deslocados devido à guerra, tornando-se num verdadeiro campo de refugiados, reconhecido como tal pelas partes em conflito. 

Em 2001 a imagem de Nossa Senhora foi levada em peregrinação, ao longo de todo o ano, por todos os cantos do país. E depois de sangrentas batalhas (a Cruz), iniciaram em 2004 as negociações de paz que se concluiram em 2009, com a paz definitiva. Por isso, os srilankeses vêem em Nossa Senhora de Madhu um símbolo de paz. 

Em Abril de 2008, o Santuário foi reentregue à Diocese de Mannar e reaberto ao culto em 2010." Fonte

domingo, 11 de janeiro de 2015

Com o terço nas mãos



Com o Terço nas mãos, dirigimo-nos a Vós, Ó Mãe de Cristo, para Vos honrar através da memória do ciclo da salvação e na profundidade rítmica das "Ave Marias", como muitas rosas entrelaçadas num cordão que pomos sobre o coração da mais bela, da mais pura e da mais santa de todas as mulheres.

 Paulo VI

Imagem: Nossa Senhora do Terço (Rua Senhor dos Passos, Centro/Rio de Janeiro)

quarta-feira, 24 de dezembro de 2014

Pobreza este Presépio representa



Dos Céus à Terra desce a mor Beleza,
Une-se à nossa carne e fá-la nobre;
E sendo a humanidade dantes pobre,
Hoje subida fica à mor alteza.

Busca o Senhor mais rico a mor pobreza;
Que ao mundo o seu amor descobre,
De palhas vis o corpo tenro cobre
E por elas o mesmo céu despreza.

Como? Deus em pobreza à terra desce?
O que é mais pobre tanto lhe contenta,
Que este somente rico lhe parece.

Pobreza este Presépio representa;
Mas tanto por ser pobre já merece,
Que mais o é, mais lhe contenta.

Luís Vaz de Camões
Imagem de Josefa de Óbidos (1630-1684)

domingo, 14 de dezembro de 2014

Novo centro de Peregrinação Mariana no Peru


A 34 quilômetros da cidade de Catamarca, no Peru, encontra-se o centro "El Rosario de Polloc", do distrito de Encañada, local onde está instalado um novo espaço dedicado a Nossa Senhora. Trata-se do Santuário da Virgem do Rosário, que se tornou um novo centro de peregrinação mariana para os fiéis da diocese peruana.
Ler mais em: http://www.gaudiumpress.org/content/65581-Criado-novo-centro-de-peregrinacao-mariana-no-Peru#ixzz3LrxI4k1o 

sexta-feira, 12 de dezembro de 2014

Nossa Senhora de Guadalupe



Nossa Senhora de Guadalupe, rogai por nós que recorremos a vós.

12 de dezembro - dia de Nossa Senhora de Guadalupe, padroeira das Américas.

segunda-feira, 8 de dezembro de 2014

Imaculada Conceição de Maria


No dia da Imaculada Conceição de Maria, cantemos:

Ó Maria Imaculada,
Doce Mãe da Providência,
Governai a nossa vida,
Com materna assistência.

Consolai-nos na aflição, na dor,
Alcançai-nos o perdão de Deus,
Enas trevas sede a luz,
Conduzindo a Jesus!

Acolhei, ó Mãe bondosa,
Nossas preces, nossos cantos.
Ofendemos vosso Filho,
Nos defenda o vosso manto.

Se é tão doce confiar em vós,
Que alegria não será vos ver!...
Concedei-nos, Mãe de Deus,
Vos saudar lá nos céus!

Foto: Imagem da Imaculada, na Paróquia Imaculada Conceição Recreio, no período da festa da Padroeira 1 a 8/12/2014

quinta-feira, 27 de novembro de 2014

Nossa Senhora da Medalha Milagrosa



PRECE DO PAPA JOÃO PAULO II
NA CAPELA DA MEDALHA MILAGROSA
 Paris, 31 de Maio de 1980

Ave, Maria,
cheia de graça,
o Senhor é convosco
bendita sois vós entre as mulheres
bendito é o fruto do vosso ventre, Jesus.
Santa Maria, Mãe de Deus,
rogai por nós, pecadores, agora e na hora da nossa morte.
Amen.

Ó Maria concebida sem pecado,
rogai por nós que recorremos a vós.

Esta é a oração que vós inspirastes, ó Maria, a Santa Catarina Labouré, neste mesmo lugar há 150 anos; e esta invocação, agora impressa na medalha, e actualmente levada e pronunciada por tantos fiéis no mundo inteiro!
Neste dia em que a Igreja celebra a visita que vos fizestes a Isabel quando o Filho de Deus já tomara carne no vosso seio a nossa primeira oração será para vos louvar e vos bendizer. Vós sois bendita entre todas as mulheres! Bem-aventurada vós que acreditastes! O Poderoso fez por vós maravilhas! A maravilha da vossa maternidade divina! E em previsão dela, a maravilha da vossa Imaculada Conceição! A maravilha do vosso Fiat! Vós fostes associada tão intimamente a toda a obra da nossa Redenção, associada à cruz do nosso Salvador, o vosso Coração foi por isso trespassado, ao lado do Seu Coração. E agora, na glória do vosso Filho, vós não cessais de interceder por nós, pobres pecadores. Vós velais pela Igreja de que sois Mãe. Vós velais por cada um dos vossos filhos. Vós obtendes de Deus, para nós, todas estas graças, simbolizadas pelos raios de luz que irradiam das vossas mãos abertas. Apenas sob a condição de que nos atrevamos a pedir-vo-las, que nos aproximemos de vós com a confiança, a ousadia e a simplicidade duma criança assim que vós nos levais sem cessar a caminho do vosso divino Filho.
Neste lugar abençoado, gosto de vos repetir eu próprio, hoje, a confiança, o apego profundíssimo de que vós me fizestes sempre a graça. "Totus tuus". Venho como peregrino, depois de todos os que vieram a esta capela a partir de há 150 anos; como todo o povo cristão que em grande número está aqui todos os dias para vos dizer a sua alegria, a sua confiança e a sua súplica. Venho como o Beato Maximiliano Kolbe: antes da sua viagem missionária ao Japão; precisamente há 50 anos, veio ele aqui procurar o vosso apoio particular para propagar aquilo a que chamou depois "A Milícia da Imaculada" e veio lançar a sua obra prodigiosa de renovação espiritual, sob o vosso patrocino, antes de dar a vida pelos seus irmãos. Cristo pede hoje a sua Igreja uma grande obra de renovação espiritual. E eu, humilde sucessor de Pedro, é esta grande obra que venho confiar-vos; como o fiz em Jasna Gora, em Nossa Senhora de Guadalupe em Knock, em Pompéia, em Éfeso, e como o farei no próximo ano em Lourdes.
Consagramo-vos as nossas forças e a nossa disponibilidade para servirmos o desígnio de salvação operada pelo vossa Filho. Pedimo-vos que, graças ao Espírito Santo, a fé se aprofunde e robusteça em todo o povo cristão, para a comunhão vencer todos os germes de divisão e para a esperança ser revigorada em todos os desanimados. Pedimo-vos especialmente por este povo da França, pela Igreja que está na França, pelos seus Pastores, pelas almas consagradas, pelos pais e mães de família, pelas crianças e pelos jovens, pelos homens e pelas mulheres da terceira idade. Pedimo-vos por aqueles que sofrem duma miséria particular, física ou moral, que sentem a tentação de infidelidade, que estão abalados pela dúvida num clima de incredulidade, e pedimo-vos também pelos que sofrem perseguição por causa da fé. Nós confiamo-vos o apostolado dos leigos, o ministério dos Sacerdotes e o testemunho das Religiosas. Nós vos pedimos que o apelo da vocação sacerdotal e religiosa seja muitas vezes ouvido e seguido, para glória de Deus e vitalidade da Igreja neste país, e pela dos países que esperam ainda uma ajuda fraternal missionária.
Recomendamo-vos especialmente a multidão das Irmãs da Caridade, cuja Casa-Mãe está neste lugar estabelecida, as quais, no espírito do fundador São Vicente de Paulo e de Santa Luísa de Marillac, estão tão prontas para servir a Igreja e os pobres em todos os meios em todos os países. Nós vos pedimos por aquelas que habitam esta Casa e acolhem, no coração desta capital febril, todos os peregrinos que sabem qual o preço do silêncio e da oração.

Ave, Maria,
cheia de graça,
a Senhor é convosco,
bendita sois vós entre as mulheres e bendito é o fruto do vosso ventre, Jesus.
Santa Maria, Mãe de Deus, rogai por nós, pecadores,
agora e na hora da nossa morte.