sexta-feira, 22 de agosto de 2014

Nossa Senhora Rainha




Hoje, 22 de agosto, a Igreja celebra a Virgem Santa Maria Rainha.

Salve Rainha, mãe de misericórdia, vida, doçura e esperança nossa, salve!
Rogai por nós que recorremos a vós!

... "9. Assim, baseando-se nas palavras do arcanjo Gabriel, que predisse o reino eterno do Filho de Maria, e nas de Isabel, que se inclinou diante dela e a saudou como "Mãe do meu Senhor",(9) compreende-se que já os antigos escritores eclesiásticos chamassem a Maria "mãe do Rei" e "Mãe do Senhor", dando claramente a entender que da realeza do Filho derivara para a Mãe certa elevação e preeminência." 

CARTA ENCÍCLICA AD CAELI REGINAM DO SUMO PONTÍFICE PAPA PIO XII, in http://www.vatican.va/holy_father/pius_xii/encyclicals/documents/hf_p-xii_enc_11101954_ad-caeli-reginam_po.html
Imagem: Internet

quinta-feira, 21 de agosto de 2014

Hino do centenário das aparições de Fátima


Hino do Centenário das Aparições de Fátima (1917- 2017):

"Mestra do Anúncio, Profecia do Amor".

1.   Ouvindo o arauto da Mensagem,
Ó terra eleita que o Espírito lavra,
Também dizemos: oh! cheia de graça,
Sois serva e mensageira da Palavra.
Saudada por todas as gerações:
Feliz entre as mulheres, sois, Maria!
Bendito o Anjo que Vos precedeu:
Custódia, como vós, da Eucaristia.

Ave o clemens, ave o pia!
Salve Regina Rosarii Fatimae!
Ave o dulcis Virgo Maria!

2. Os pastores e os magos acorreram,
Louvando tão alta maternidade.
Com eles, procuramos Jesus Cristo
Que do Céu trazeis à humanidade.
A palavra de Jesus, Verbo Eterno,
Guardáveis toda em Vosso Coração,
Refúgio triunfante para os homens
Que fazem penitência e oração.

3. No templo apresentastes Vosso Filho
E o anúncio da espada ecoou:
Dor que jorra da Cruz do Homem-Deus,
Dor que sobre a azinheira ressoou.
Ensinando a excelsa Sabedoria,
Encontrastes Jesus entre os doutores;
Mensagem que ensinais à multidão,
Pedindo a conversão dos pecadores.

4. Felizes seios, benditas entranhas,
Que geraram Jesus, o Salvador!
Alimentam a Igreja e o mundo,
Pregando o Evangelho do Amor.
Solícita nas núpcias dos esposos:
“Fazei tudo o que Ele Vos disser”;
Pregão que sai do alto da azinheira
Por Vossos lábios, ó Nova Mulher.

5. Dolorosa, de pé, junto ao Madeiro,
Gerastes, no Calvário, a humanidade;
As dores desse parto Vos trouxeram
Ao mundo que tem ânsia da verdade.
A alegria da gloriosa Páscoa
Sentistes, Virgem pura, ó Mãe Santa!
Vitória sobre o mal Vós nos pedis
- Eis a mensagem que Fátima canta.

6. No meio da Igreja que nascia
Recebestes o Espírito dos céus;
Viestes missionária à nossa terra,
Proclamando as maravilhas de Deus.
Junto com os discípulos de Cristo,
Oráveis na assembleia dos cristãos
E continuais orando pelo mundo,
A Deus levantais, ternas, Vossas mãos.

7. Gozando das primícias do Reino,
Habitais a Jerusalém do Céu
Donde viestes para nos falar,
‘stendendo sobre nós benigno véu.
À direita de Cristo, sois rainha
Ornada de ouro fino de esplendor;
P’ra lá nos qu’reis levar, ó Mãe bendita!
Àquela luz que é Deus, o Deus do Amor.

8. Vós sois, Senhora, a Mãe do Rosário,
Sois a Mãe da Alegria e da Luz,
A Mãe das Dores e a Mãe da Glória,
Mãe do Messias-Cristo que é Jesus.
Todos os dias seguimos, Senhora,
Vossa admirável recomendação:
Contemplar Jesus Cristo no Rosário
Para alcançar a eterna Salvação.

9. A Deus queremos nós oferecer-nos
E os sofrimentos todos suportar;
Orando pelo vigário de Cristo,
A vida plena ansiamos alcançar.
Reparando as vidas do pecado,
Suplicando, chorando nossas dores,
Dizemos: “Jesus, é por Vosso amor
E pela conversão dos pecadores”.

10. Visitastes o Povo que nasceu
Das águas do baptismo redentor,
Pedindo penitência e oração,
Pedindo conversão ao Deus-Amor.
Meditando de Cristo os mistérios,
Proclamando a mensagem que Deus faz
- É o mandato que trazeis, Senhora,
Para que o mundo inteiro alcance a paz.

11. Senhora do Rosário, ao Vosso nome,
Erguemos a capela, em oração;
Unidos à Igreja Universal,
Nela louvamos Cristo, Novo Adão.
Nela louvamos Cristo, nossa luz,
Com a chama da fé em nossa mão.
E as mãos alvas que alevantamos
São símbolo da paz e do perdão.

Partitura 

Fonte: http://www.santuario-fatima.pt/portal/index.php?id=44383

terça-feira, 5 de agosto de 2014

Santa Maria Maior - Nossa Senhora das Neves


Celebração em 5 de agosto

É muito interessante a origem deste antiquíssimo título de Nossa Senhora, aliás contada por vários autores, entre os quais o P. Croiset no seu “Epítome Mariano”.

Foi no tempo do Papa Libério (362-366) quando em Roma governava o imperador Constâncio, que havia na cidade um casal muito abastado, João Patrício e sua esposa, o qual não tendo filhos, prometeu a Nossa Senhora toda a sua riqueza, pedindo-lhe que lhes dissesse, por algum sinal, a obra pia que desejava.

Na noite de 5 de agosto, os voventes e o Papa foram avisados em sonhos para construírem uma igreja no lugar marcado por uma camada de neve. Em Roma e no mês de agosto era autêntico milagre. Ao outro dia, a neve lá apareceu, no monte Esquilino.

Estava pois escolhido o local e a invocação de Nossa Senhora.

O santuário foi reconstruído um ano depois do Concílio de Éfeso, portanto em 432 e dedicado por Sisto III à Santa Mãe de Deus, em memória do célebre Concílio em que a Mãe de Jesus foi aclamada como verdadeira Mãe de Deus. Esta basílica, que mais tarde se chamou SANTA MARIA MAIOR, nome que ainda hoje tem, é a igreja mais antiga do Ocidente dedicada a Nossa Senhora. O seu dia litúrgico é ainda o dia 5 de agosto, em que se celebra a sua festa universal. Portanto, o nome de Nossa Senhora das Neves, que correu mundo, veio de Roma.

Fonte: P. José do Vale Carvalheira, in Nossa Senhora na história e devoção do povo português.
Imagem da Internet: Detalhe do interior da Basílica de Santa Maria Maior, em Roma

quarta-feira, 23 de julho de 2014

Ariano Suassuna e Nossa Senhora Mediadora


Com Deus

Católico, Ariano levava para todos os lugares a imagem de Nossa Senhora gravada em uma medalha. Era ela que, segundo ele, mediava as conversas que tinha com Deus, principalmente, quando os pedidos eram muitos. "Converso muito com Deus, todos os dias. E entra muito assunto, muitos pedidos. Vergonhosamente, acho que tem mais pedido que agradecimento. Quando acho que estou incomodando muito, recorro a medianeira de todas as graças, que me acompanha a todo momento e para todo o lugar que vou, levo."
O Correio Braziliense de 23/7/2014
Ariano Suassuna (1927-2014)

domingo, 13 de julho de 2014

Terceira aparição de Fátima

Treze de Julho - 3ª aparição de Nossa Senhora em Fátima - Portugal

Relato de Lúcia, uma das pastorinhas a quem a Virgem apareceu:
"Dia 13 de Julho de 1917 – Momentos depois de termos chegado à Cova de Iria, junto da carrasqueira, entre numerosa multidão de povo, estando a rezar o terço, vimos o reflexo da costumada luz e, em seguida, Nossa Senhora sobre a carrasqueira.
– Vossemecê que me quer? – perguntei.
– Quero que venham aqui no dia 13 do mês que vem, que continuem a rezar o terço todos os dias, em honra de Nossa Senhora do Rosário, para obter a paz do mundo e o fim da guerra, porque só Ela lhes poderá valer.
– Queria pedir-Lhe para nos dizer Quem é, para fazer um milagre com que todos acreditem que Vossemecê nos aparece.
– Continuem a vir aqui todos os meses. Em Outubro direi Quem sou, o que quero e farei um milagre que todos hão-de ver, para acreditar.
Aqui, fiz alguns pedidos que não recordo bem quais foram. O que me lembro é que Nossa Senhora disse que era preciso rezarem o terço para alcançarem as graças durante o ano. E continuou:
– Sacrificai-vos pelos pecadores e dizei muitas vezes, em especial sempre que fizerdes algum sacrifício: Ó Jesus, é por Vosso amor, pela conversão dos pecadores e em reparação pelos pecados cometidos contra o Imaculado Coração de Maria.
Ao dizer estas últimas palavras, abriu de novo as mãos, como nos dois meses passados.
O reflexo pareceu penetrar a terra e vimos como que um mar de fogo. Mergulhados em esse fogo, os demónios e as axlmas, como se fossem brasas transparentes e negras ou bronzeadas, com forma humana, que flutuavam no incêndio, levadas pelas chamas que delas mesmas saíam juntamente com nuvens de fumo, caindo para todos os lados, semelhante ao cair das faúlhas em os grandes (incêndios), sem peso nem equilíbrio, entre gritos e gemidos de dor e desespero que horrorizava e fazia estremecer de pavor (deveu ser ao deparar-me com esta vista que dei esse ai! que dizem ter-me ouvido). Os demónios distinguiam-se por formas horríveis e asquerosas de animais espantosos e desconhecidos, mas transparentes como negros carvões em brasa. Assustados e como que a pedir socorro, levantámos a vista para Nossa Senhora que nos disse, com bondade e tristeza:
– Vistes o inferno, para onde vão as almas dos pobres pecadores; para as salvar, Deus quer estabelecer no mundo a devoção a Meu Imaculado Coração. Se fizerem o que Eu vos disser, salvar-se-ão muitas almas e terão paz. A guerra vai acabar. Mas, se não deixarem de ofender a Deus, no reinado de Pio Xl começará outra pior. Quando virdes uma noite alumiada por uma luz desconhecida, sabei que é o grande sinal que Deus vos dá de que vai a punir o mundo de seus crimes, por meio da guerra, da fome e de perseguições à Igreja e ao Santo Padre.
Para a impedir, virei pedir a consagração da Rússia a Meu Imaculado Coração e a Comunhão reparadora nos primeiros sábados. Se atenderem a Meus pedidos, a Rússia se converterá e terão paz; se não, espalhará seus erros pelo mundo, promovendo guerras e perseguições à Igreja. Os bons serão martirizados, o Santo Padre terá muito que sofrer, várias nações serão aniquiladas. Por fim, o Meu Imaculado Coração triunfará. O Santo Padre consagrar-Me-á a Rússia que se converterá e será concedido ao mundo algum tempo de paz (18). Em Portugal se conservará sempre o dogma da Fé, etc. Isto não o digais a ninguém. Ao Francisco, sim, podeis dizê-lo.
Quando rezais o terço, dizei, depois de cada mistério: Ó meu Jesus, perdoai-nos, livrai-nos do fogo do inferno; levai as alminhas todas para o Céu, principalmente aquelas que mais precisarem.
Seguiu-se um instante de silêncio e perguntei:
– Vossemecê não me quer mais nada?
– Não. Hoje não te quero mais nada.
E, como de costume, começou a elevar-se em direcção ao nascente até desaparecer na imensa distância do firmamento."

Nossa Senhora de Fátima, rogai por nós!

Fonte: Santuário de Fátima - Portugal
Imagem: N. S. de Fátima 31/5/2009 (Paróquia Imaculada Conceição Recreio)

sexta-feira, 27 de junho de 2014

Perpétuo Socorro


Nossa Senhora do Perpétuo Socorro: Comemoração em 27 de junho

Um dos principais santuários de Nossa Senhora do Perpétuo Socorro no Brasil, Campo Grande, Mato Grosso do Sul, é o 1º no país a receber a réplica do ícone de Nossa Senhora Perpétuo Socorro.

“Um presente para Campo Grande. Assim é considerada a réplica da imagem ícone da Nossa Senhora do Perpétuo Socorro que ficará no Santuário da Diocese, situado na Avenida Afonso Pena. O quadro banhado a ouro foi trazido para a Capital durante o 1º Congresso Internacional de Nossa Senhora do Perpétuo Socorro”, realizado em maio deste ano.
http://www.campograndenews.com.br/cidades/capital/capital-sera-a-1a-do-pais-a-ter-replica-de-imagem-de-perpetuo-socorro

Origem do título

Havia na ilha de Creta um quadro da Virgem Maria muito venerado pela população devido aos estupendos milagres que operava. Certo dia, porém, um rico negociante, pensando no bom preço que poderia obter por ele, roubou-o e levou-o para Roma.

Durante a travessia do Mediterrâneo, o navio que transportava a preciosa carga foi atingido por terrível tempestade, que ameaçava submergi-lo. Os tripulantes, sem saber da presença do quadro, recorreram a Virgem Maria e logo a tormenta amainou, permitindo que a embarcação ancorasse, sendo salva num porto italiano.

Algum tempo depois o ladrão sacrílego faleceu e a Santíssima Virgem apareceu a uma menina, filha da mulher que guardava a pintura em sua casa, avisando que a imagem de Santa Maria do Perpétuo Socorro deveria ser colocada numa igreja. O milagroso quadro foi então solenemente entronizado na capela de São Mateus, em Roma, no ano de 1499, e aí permaneceu recebendo a homenagem dos fiéis durante três séculos, até que o templo foi criminosamente destruído. Os religiosos se dispersaram e a santa caiu no esquecimento.

Em meados do s6culo XIX, o papa Pio IX chamou a Roma os padres Redentoristas, que se estabeleceram no antigo convento dos Agostinianos, no local onde existira a igreja de São Mateus. Foi então que um dos religiosos encontrou documentos relativos a uma imagem da Virgem Maria, famosa pelos grandes milagres que realizava. Após muita procura o quadro foi encontrado por uma revelação especial de Nossa Senhora.

Finalmente em 1866 a milagrosa efígie foi conduzida triunfalmente ao seu atual santuário por ordem do Santo Padre, que recomendou aos filhos de Santo Afonso de Ligório: - "Fazei que todo o mundo conheça o Perpétuo Socorro". De seu trono no Monte Esquilino a devoção se irradiou por todo o planeta. No Brasil esta invocação de Maria chegou no final do século passado com os padres da Congregação do Santíssimo Redentor que aqui se estabeleceram em 1893.

A ilha de Creta esteve durante muitos séculos dominada pelos muçulmanos, que destruíram muitos documentos cristãos, por isso nada se descobriu sobre a origem do milagroso ícone, nem mesmo na igreja onde ele era venerado antigamente. É uma pintura sobre madeira, em estilo bizantino, onde se enlaçam a arte e a piedade, a elegância e a simplicidade. Dizem os entendidos que deve ser uma das diversas cópias do retrato da Virgem Santíssima feito por São Lucas e que o pintor era grego, porque são helênicas as letras das inscrições.

Quanto ao titulo de Nossa Senhora do Perpétuo Socorro, foi a própria Virgem que o usou, falando à menina a quem apareceu; ou porque fosse esse o título da imagem invocada em Creta, ou porque desejasse ser venerada com este nome daí por diante.(MEGALE, Nilza. Invocações da Virgem Maria no Brasil. Petrópolis: Vozes, 1997, p. 381-382)

Nossa Senhora do Perpétuo Socorro, rogai por nós!

Imagem: Réplica do ícone de Nossa Senhora do Perpétuo Socorro

quarta-feira, 25 de junho de 2014

Maria, a bendita entre as mulheres


Como poderemos viver o nosso batismo sem contemplarmos Maria, a bendita entre as mulheres, tão acolhedora do dom de Deus? Cristo, deu-no-la por Mãe. Fê-la Mãe da Igreja. Cada um de nós confia-lhe a sua oração e consagra-se a Ela para melhor se consagrar ao Senhor.

Joao Paulo II